• http://www.aveiro.com.pt

Diretório de Empresas


Publicite Aqui

Visitas

HojeHoje364
Esta SemanaEsta Semana1008
Este MêsEste Mês9488
TOTALTOTAL791642
Statistik created: 2018-09-25T14:54:30+00:00
PR3 - Rota das Laranjeiras PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

 

Este percurso tem o seu início no largo fronteiro à Igreja Matriz de S. Martinho em Pessegueiro do Vouga. Com cerca de 9,5 Km de extensão, o PR3 com altitudes entre os 30 e os 166m tem um nível de dificuldade considerado baixo. Deixámos a praia fluvial e chegámos à EN 328. Descemos até à ponte, atravessámos o Vouga e seguimos pela esquerda junto ao rio na EN 16. Poucos metros à frente surge a calçada da Barquinha à nossa direita, uma estreita ruela em escadaria que subimos, por entre laranjeiras, quintais e terrenos de cultivo.

Chegámos ao lugar da Barquinha e depois de o atravessarmos rumámos até Porto Carro, seguindo depois para Pessegueiro do Vouga.
No largo fronteiro à Igreja Matriz de S. Martinho observámos o mapa com o descritivo de todo o percurso (afinal era ali o seu inicio “oficial”).
Avançámos para o Calvário de onde se pode observar umas belas paisagens dos lugares circundantes. Descemos por entre quintais e laranjeiras até ao largo de Stº. António. Aqui, desviámo-nos do percurso assinalado para restabelecer energias no café mais próximo.

Depois da pausa, retomámos o percurso na subida para a capela de Stª. Quitéria. À sua esquerda inicia-se a descida pela floresta vindo de encontro à antiga via-férrea do Vouga.
Seguindo pela esquerda pela antiga linha agora asfaltada, chegamos à Ponte do Poço S. Tiago construída em alvenaria no início do séc. XX.
Avançamos até à antiga Estação de Paradela e à antiga Fábrica de Massas Alimentícias “Vouga”.
Com o sol já escondido no horizonte, entrámos na recta final do percurso. De novo na EN 328 descemos até à praia fluvial onde os restantes elementos do grupo nos esperavam.

Objectivos alcançados. Estávamos cansados e “moídos” mas sentiamo-nos realmente muito bem, com a sensação de dever cumprido.
Seria uma pena ter trocado este domingo por um outro qualquer passado em casa, no sofá, em frente à televisão…afinal, porquê ficar no sofá quando temos tanto País para ver?

 

Share
 
Font changer Font changer Font changer

Concelhos

Publicite Aqui

Webfeel